quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Onde estão os humanos?




E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade.

E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores ( Lucas 7).






Testemunhos de vitória, shows e performances impecáveis, campeões e números bombásticos.
To cansado disso.


Um mundo de cristãos continuam querendo impressionar a Deus buscando freneticamente o “crescimento numérico” de suas igrejas, querem “bater a meta” achando que isso é ter um ministério de sucesso.






Onde estão os humanos que podem dizer como Paulo:

“Eis uma verdade digna de toda aceitação, Cristo veio salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”

To escrevendo isso aqui porque estava lendo o texto de Lucas 7, aquele da viúva da aldeia de Naim e percebi uma coisa:



“É mais fácil fazer Jesus parar, chamar a atenção Dele com nossas lágrimas, com nosso silêncio do que com nossos louvores, musicas, barulho ou performance.”




Tudo, inclusive nossa celebração piedosa pode ser maquiada pela linguagem gestual ou verbal.


Apenas na hora da surpresa ignorante em relação a vida, na hora que não sabemos porque sofremos, aí é que somos nós mesmos.


Com isso não sentimos a cobrança de uma divindade infinitamente exigente e difícil de se agradar.


Ninguém precisa se amedrontar por ser imperfeito e carregar complexos ,dores e traumas.



Ninguém assim precisa temer a rejeição de Deus e por isso não precisam encenar uma espiritualidade plástica


Não precisamos provar nada a Ele pois seu amor não depende de nossa perfeição.


Quando somos verdadeiros .... “Ele” pára.