quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Zé Geraldo, sempre bom de escutar!



Tá calor demais.

Perdi o sono, vim pra cá escrever.

Coloquei o DVD e assisti uma música só de um dos caras que mais gosto de escutar. O Zé Geraldo. Tava com a música "Zé e José" na cabeça e escutei, guardei o dvd, desliguei a tv e sentei-me pra escrever.

Nada pontual, não há uma lição a ser espremida de mim pra eu escrever aqui agora.
Apenas gosto dessa musica, porque me faz pensar em quantas culpas somamos na vida.
A performance é muito cruel, o medo de ser reprovado.

Ele termina a musica com a seguinte estrofe:

"Zé cantou história das estradas
Reencontrou o sentimento perdido
Emocionou multidões, aplaudiu, foi aplaudido
Zé nunca mais sentiu culpa, em ser vagabundo

Voltou a ser feliz..."


Outro dia um amigo me disse:

-Qual é seu projeto, seu alvo, sua meta de vida?

Cara, engasguei.
Me culpei por isso.

Mas as vezes viver não é uma experiência precisa. As vezes tudo é vago e inexato.
Há momentos em que apenas hibernamos e aguardamos.

Nessa desambição, estou livre de tentar agradar e despido de grandes planos, grandes expectativas.

Sei que esse tempo vai passar, tenho o dever de continuar, mas não com fardos de culpas.

Vou continuar, mas não preciso encontrar saída pra isso, nem solucionar esse mistério, basta continuar mas sem perder a alma, sem tirar os olhos do alvo.