terça-feira, 22 de julho de 2008

O caminho para o alto, é para baixo. ( Um pouquinho sobre Henri Nouwen)





Adam é um homem de 25 anos que não consegue vestir-se, andar , falar nem comer sem ajuda. Não chora nem ri. Muito raramente olha nos olhos de alguem. Suas costas são encurvadas, seus movimentos descoordenados. Sofre de uma grave epilepsia muito grave, e apesar dos medicamentos tem convulsões fortíssimas com freqüência e em algumas vezes chega a soltar um involuntário gemido imenso.

É necessário em média 1 hora e meia para acordar Adam, dar-lhe os remédios, carrega-lo para o banho, lavá-lo, barbeá-lo, escovar seus dentes, vesti-lo, levá-lo a cozinha, dar-lhe o café da manhã, colocá-lo na cadeira de rodas e conduzi-lo ao local onde passa a maior parte do dia em exercícios terapeuticos.

Gosto muito do escritor Henry Nouwen. Como a maioria, virei fã ao ler seu clássico, “A volta do filho pródigo”, livro recomendado pelo Edú, meu irmão mais velho.

Não sei se você sabe disso, mas ele deixou seu posto na universidade de Harvard no ápice de sua carreira e foi para uma localidade chamada Daybreak, perto de Toronto para desempenhar tarefas como a descrita acima. Em vez de ministrar a intelectuais assumiu o cuidado de Adam, considerado por muitos um vegetal, ou alguem que não deveria ter nascido. Mesmo assim até o fim de sua vida Nouwen afirmava que “ele\' e não Adam havia sido o maior beneficiado nese relacionamento estranho.

Ele disse que fazendo isso alcançou uma paz interior tão satisfatória ao ponto de suas outras atividades, apesar de mais intelectuais, parecerem tediosas. Logo que passou a cuidar daquele homem-criança, percebeu a violência, rivalidade, competição e obsessão que existia em seu anseio pelo sucesso na vida acadêmica e no ministério cristão.

Com Adam, Nouwen aprendeu aos poucos que o caminho para o alto é voltar-se para baixo e o que nos faz humanos, nã é a mente, mas o coração, não é a habilidade de pensar, mas a capacidade de amar.

Acredito que um dos principais problemas dos “astros cristãos” hoje seja o de distorcer alguns valores do reino de Deus e acabar se dedicando em construir uma carreira de “estrelas” bajulados por todos e que dominam revistas e programas de TV e não de “servos”. Sim todos bajulam as “estrelas” explorando as mínuscias de suas vidas: roupa que vestem, o que comem, que creme dental usam, que exercicios praticam , com quem casam.

Como Henri Nouwen disse:

“Mantenha seus olhos naquele que se recusa a transformar pedras em pães, pular de grandes aturas ou governar com poder temporal. Mantenha seus olhos no que diz: “Bem aventurados os pobres, os mansos, os que choram, e os que tem fome e sede de justiça; bem aventurados são os misericordiosos, os pacificadores e os perseguidos por causa da justiça”... Mantenha seus olhos naquele que é pobre com os pobres, fraco com os fracos e rejeitado com os rejeitados. Essa é a fonte de toda paz.”

Em outras palavras: Mantenha seus olhos no servo e não nas estrelas, a frase de Jesus que é mais repetida nos evangelhos é:

Aquele que quiser salvar a sua vida, perdêla-á, e quem perder sua vida por amor de mim, achala-á.

Sim, o caminho para o alto, é voltar-se para baixo!!