terça-feira, 28 de abril de 2009




Ela estava com câncer.

Sabia que iria morrer. Mas não queria morrer. Era muito cedo.

Havia muita coisa a ser vivida. Aí teve um sonho.

Era um jantar, muitos amigos reunidos, comendo. Aí um garçon dirigiu-se a ela e segurou a borda do seu prato, para tirá-lo.

Mas ela não terminara ainda!

A comida estava gostosa. Seu prato estava cheio.

Segurou então o prato para impedir que o garçon o levasse.

Ela queria comer tudo o que estava no seu prato, até o fim.

Houve então um momento imóvel: o garçon, decidido a levar seu prato e ela, decidida a não deixar que ele o fizesse.

Passados alguns segundos desse impasse ela olhou para o garçon, sorriu, largou o prato e disse:

“Pode levá-lo...”

Rubem Alves.